Estudo 4
O ESPÍRITO SANTO E O PENTECOSTE

As coisas espirituais que acontecerão no dia de Pentecoste, conforme Atos 2, foram extraordinárias. Refletir sobre estes acontecimentos magníficos nos revela um pouco mais sobre a grande obra do Espírito Santo relacionada à salvação do mundo e à capacitação da igreja. Vamos meditar em alguns fatos relacionados ao dia de Pentecoste.

1. A igreja acreditou na promessa (At 1:4,13)
Uma das atitudes mais louváveis que o seguidor de Cristo pode manifestar é obedecer ao que ele manda. O Salvador se agrada quando vê seus servos fazendo a sua vontade. Jesus mandou os discípulos irem para Jerusalém e ficarem lá, orando, até serem batizados no Espírito Santo. Eles creram e obedeceram. Entregaram-se à oração, confiando nas palavras de seu Mestre. A Palavra de Deus ensina que, sem fé, é impossível agradar a Deus. Portanto, que, ao invés de desconfiança, os cristãos demonstrem fé nas promessas de Jesus.

2. Oravam enquanto esperavam (At 1:14)
Paciência e perseverança são duas virtudes cristãs de difícil assimilação e prática; porém, fundamentais para o aperfeiçoamento dos santos, uma vez que, sem essas qualidades espirituais, dificilmente o cristão obterá o poder que vem de Deus no tempo perfeito para ser usado na missão. Os discípulos e a igreja perseveraram em oração e tiveram paciência para esperar a promessa. Que a igreja não cruze os braços, não se canse, não desista. Que ela persista, continue, siga em oração constante, pois quem lhe prometeu poder é fiel para cumprir.

3. O Pentecoste foi extraordinário (At 2:1-4).
Deus é galardoador. Ele sabe recompensar os obedientes. Nenhuma atitude de fé fica no vazio. Todo arrependimento sincero é sempre respondido por Deus com perdão, assim como todo ato de submissão as suas ordens é retribuído com bênçãos. Depois de dias em oração, eis que se ouviu um imenso barulho, um som como de vento impetuoso vindo do céu, e línguas como que de fogo pousaram sobre a cabeça dos santos, de cujos lábios saíram uma linguagem nova, espiritual, línguas estranhas. A verdade: todos estavam cheios do Espírito Santo, todos foram batizados no Espírito Santo. Louvado seja Deus!

4. Os milagres do Pentecoste (At 2:4-11)
A dimensão dos atos de Deus é grandiosa; na maioria das vezes, imensurável. Deus faz coisas infinitamente mais poderosas do que nossa mente possa imaginar. Ninguém foi capaz de prever que, no Pentecoste, um poder estrondoso seria derramado do céu na forma como o foi, tampouco a mente humana foi capaz de prever os milagres que se seguiram: as línguas ininteligíveis, a interpretação dessas línguas aos ouvidos, conforme a língua nativa, a intrepidez de pessoas simples e incultas a falarem com autoridade e desenvoltura espiritual das grandezas de Deus. Milagres estão disponíveis à igreja de hoje e de amanhã.

5. A murmuração dos incrédulos (At 2:12-13)
De fato, as coisas espirituais só podem ser compreendidas espiritualmente, porque a mente natural não compreende as ações do Espírito de Deus. O poder, no Pentecoste, era cumprimento da promessa do Pai, que o Filho executou, e o Espírito Santo foi derramado. Mas, enquanto os crédulos se maravilharam, os incrédulos murmuraram. Os crentes viram que era Deus agindo; os incrédulos se chafurdaram na blasfêmia: “Estão cheios de bebida alcoólica”. Sejamos crentes, não incrédulos! Que Deus livre a igreja da murmuração e a faça ser uma comunidade da fé viva e eficaz.

6. A poderosa pregação de Pedro (At 2:14-18)
Vejam o que é um homem cheio do poder de Deus. Aquele Pedro violento e covarde ficou para trás; agora, cheio do Espírito Santo, ele surge pregando com ousadia sobre a promessa do Pai, conforme o profeta Joel. O pescador da Galileia faz a sua potente voz ecoar: “Estas pessoas não estão bêbadas, elas estão cheias do Espírito Santo como prometido”. E mais: “Aguardem que os vossos filhos vão profetizar, os jovens serão visionários e os idosos vão voltar a sonhar. E isso tudo vale para todos os servos e servas.” Que maravilha! São essas bênçãos que Deus quer dar para a igreja de hoje.

7. A igreja que nasceu do Pentecoste (At 2:42-47)
Que povo surgiu do Pentecoste? Não poderia ser outro, a não ser uma igreja maravilhosa. Todo povo nascido de Deus, de seu Espírito, é povo especial, diferenciado, no sentido de missão, objetivo, propósito na vida. Vejam que igreja linda: perseverante na doutrina, na comunhão, no partir do pão e na oração; plena de temor, sinais e maravilhas, tendo tudo em comum: os bens, a alimentação, e servindo a Deus com alegria e simplicidade. O resultado não poderia ser outro: caiu na graça da sociedade!

CONCLUSÃO: Uma compreensão do que foi aquele evento no Dia de Pentecoste nos ajuda a entender as ações sobrenaturais no Espírito Santo. Mais do que compreender este evento, devemos vivenciá-los em nossas vidas. Vivamos o Pentecoste!

Posts Recomendados